Fórmula 1 segue dando o que falar. E o campeão de 1996 da categoria, Damon Hill, tratou de jogar ainda mais lenha na fogueira, afirmando que a batida se deu por conta de um movimento calculado da parte do piloto da Red Bull.

Verstappen e Hamilton se encontraram na volta 26 da prova em Monza, quando o heptacampeão saía dos boxes logo à frente do holandês, que tentava se recuperar após uma parada ruim.

Ambos chegaram à primeira perna da chicane juntos, mas, com Hamilton um pouco à frente, Verstappen acabou indo parar com meio carro do lado de fora, acertando as zebras altas, perdendo o controle e indo parar em cima do carro do rival.

Isso levou ao abandono dos dois protagonistas do campeonato. Após uma investigação dos comissários, Verstappen foi julgado predominantemente culpado, sendo punido com três posições no grid para o GP da Rússia.

A magnitude do incidente gerou diversas opiniões, incluindo a de Hill, que atua também como comentarista da Sky Sports F1.

“Tenho que dizer que, vendo o replay do acidente de Max e Lewis, não havia forma disso funcionar”.

Segundo Hill, Verstappen tinha que ter evitado o toque, como Hamilton fez no começo da mesma corrida em Monza, sugerindo que a prática do holandês possa ter sido inclusive intencional.

“Ele deveria ter tomado uma ação evasiva, como fez Lewis na segunda chicane mais cedo para evitar um acidente, assim, a única conclusão que poderia ter pensado é que ‘tenho que tirá-lo'”.

“Não gosto de pensar assim de nenhum piloto, mas acredito que foi ou um erro de julgamento ou um movimento calculado para bater em Lewis”. Vale lembrar que Hill perdeu o título de 1994 após um choque com Michael Schumacher na etapa final da temporada.

“É algo forte, forte, e não gosto de acusar ninguém disso, mas ele tinha uma vantagem no campeonato e esta é uma prova que a Mercedes deveria ganhar. Com isso, Max sai daqui ainda na liderança”.

Por outro lado, David Coulthard julgou o caso como um “incidente de corrida” em conversa com o Motorsport.com.

“Eles estavam pilotando. Nenhum de nós está lá, os comissários não estão pilotando o carro. Os dois querem ganhar, estão roda a roda”.

“Não acredito que ninguém tinha a intenção de bater, por isso são tomadas as decisões. São dois dos melhores pilotos do mundo tomando decisões sobre o que acreditam ser correto no calor do momento. Nenhum dos dois, nessa situação, vai dizer, sim, foi minha culpa. Um vai culpar o outro”.

Fonte: UOL
Foto: Motorsport