A investigação do gabinete do procurador-geral do estado de Nova York, nos EUA, concluiu que o governador Andrew Cuomo assediou sexualmente onze mulheres, entre elas, antigas e novas funcionárias de seu escritório. O governador nega que teria agarrado alguma vítima, mas declarou que algumas de suas atitudes podem ter deixado as mulheres desconfortáveis.

A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, disse em entrevista coletiva que o “governador Cuomo assediou sexualmente várias mulheres” e afirmou que as suas ações são crimes que violam as leis estaduais e federais.

Segundo a rede de televisão NBC, os investigadores disseram que entre as agressões sexuais feitas por Cuomo estavam comentários sexuais e agarrar as vítimas.

“Esta investigação revelou uma conduta que corrói a própria estrutura e caráter de nosso governo estadual e ilumina a injustiça que pode estar presente no mais alto nível do governo”, declarou a procuradora-geral.

O jornal The New York Times informou que a procuradoria-geral também conseguiu comprovar que o Cuomo e sua equipe retaliaram uma ex-funcionária vítima que divulgou publicamente o seu caso.

 

Fonte: UOL
Foto: Mike Segar