MADRI — A Espanha permitirá a entrada em seu território de qualquer pessoa vacinada contra a Covid-19, independentemente do país de procedência, a partir de 7 de junho, anunciou o primeiro-ministro Pedro Sánchez nesta sexta-feira.

A autorização, no entanto, valerá apenas para pessoas que receberam doses aprovadas pela Agência de Medicamentos da Europa (EMA, na sigla em inglês) ou pela Organização Mundial de Saúde — o que, neste momento, exclui a CoronaVac, que no entanto deve ser avalizada pela OMS em breve.

 

A reabertura espanhola vem às vésperas da alta temporada de verão no Hemisfério Norte, em uma tentativa de recuperar um setor turístico que responde por 14% do Produto Interno Bruto do país, duramente impactado pela pandemia de Covid-19:

— A partir de 7 de junho, todas as pessoas vacinadas e suas famílias também são bem-vindas ao nosso país, independentemente do local de origem — afirmou o premier.

Segundo Sánchez, o país aceitará visitantes que completaram há ao menos 14 dias as duas doses de vacinas aprovadas pela EMA ou pela OMS: ou seja, as doses produzidas pela Moderna, pela Universidade de Oxford-AstraZeneca, pela Johnson & Johnson, pela Pfizer-BioNTech e pela Sinopharm.

 

A OMS, contudo, deverá decidir em breve sobre a concessão da autorização emergencial para a Sinovac, responsável pela CoronaVac usada no Brasil, e a Sputnik V.

A partir de 24 de maio, a Espanha permitirá também a entrada dos britânicos, vacinados ou não, “sem restrições e sem exigências sanitárias”, completou Sánchez. Antes da crise sanitária global, os britânicos representavam o primeiro contingente de visitantes estrangeiros ao país, com 18 milhões de chegadas em 2019.

— A Espanha está encantada de acolher novamente os turistas britânicos que queiram vir ao nosso país — disse Sánchez, em inglês, em um sinal claro para a imprensa internacional e os cidadãos do Reino Unido.

Desde março de 2020, os britânicos só podiam ingressar na Espanha apenas em casos de emergenciais. Apesar de poderem entrar livremente em território espanhol a partir do próximo dia 7, contudo, ele ainda precisam fazer quarentena e testes PCR no retorno ao Reino Unido.

 

O alívio das restrições à turistas, independente do seu estado de vacinação, também incluirá o Japão, segundo o Boletim Oficial do Estado, o Diário Oficial espanhol. Ambos os países se somam a uma lista de oito territórios de fora da UE, como China, Austrália, Israel e Nova Zelândia, cujos residentes já estavam autorizados a entrar na Espanha para viagens não essenciais.

Segundo principal destino turístico mundial em 2019, atrás apenas da França, a Espanha espera atrair cerca de 45 milhões de turistas estrangeiros em 2021, metade do número do período pré-pandemia.

Com a implementação do passaporte sanitário europeu, visitantes dos países do bloco que estejam na chamada “lista verde”, com baixas taxas de transmissão, possam ingressar livremente em território espanhol. Passageiros oriundos de partes da UE que ainda não se enquadram nestes critérios, como a Alemanha ou a França, deverão apresentar um teste PCR negativo ou, a partir de 7 de junho, seus certificados de vacinação.

A decisão espanhola vem dois dias após a UE aprovar a reabertura de suas fronterias para viajantes de fora do bloco que já tenham tomado as duas doses das vacinas contra a Covid-19 ou que venham de países onde a pandemia está sob controle. A lista de nações que se enquadram nestes critérios deverá ser divulgada nos próximos dias.

Fonte: G1
Foto: AFP