Índia registrou nesta terça-feira (25) o menor número de novos casos de Covid-19 em 41 dias e o menor número de novas mortes em 21 dias, segundo dados divulgados pelo governo.

Foi a primeira vez desde 14 de abril que o segundo país mais populoso do mundo, com mais de 1,3 bilhão de habitantes, registrou menos de 200 mil novos infectados.

A boa notícia ocorre um dia após o país se tornar o terceiro a ultrapassar as 300 mil mortes por Covid-19 e seis dias após a Índia bater o recorde mundial de óbitos em um único dia.

Apesar disso, a Índia foi responsável por 43% de todos os casos e 39% de todas as mortes do mundo nas últimas 24 horas, segundo dados do “Our World in Data”, projeto ligado à Universidade de Oxford.

Trabalhador de saúde indiano coleta swab nasal de criança para teste de Covid-19 na vila de Burha Mayong, distrito de Morigaon, estado de Assam, na Índia, em 22 de maio de 2021 — Foto: Anupam Nath/AP
Trabalhador de saúde indiano coleta swab nasal de criança para teste de Covid-19 na vila de Burha Mayong, distrito de Morigaon, estado de Assam, na Índia, em 22 de maio de 2021 — Foto: Anupam Nath/AP

E, mesmo com os números astronômicos, há fortes indícios de subnotificação — sobretudo de mortes — no país. Especialistas acreditam que os números reais podem ser de cinco a dez vezes maiores.

A principal causa da tragédia indiana é a complacência do governo, que se recusou a adotar um lockdown nacional, liberou comícios políticos e festivais religiosos e permitiu que uma nova variante, a B.1.617, se espalhasse pela Índia e para todos os continentes.

 

País em colapso

A segunda onda dá indícios de estar arrefecendo nas grandes cidades, mas agora se espalha pelo interior rural do país, que concentra dois terços da população e tem uma infraestrutura de saúde muito mais precária.

Corpos têm sido encontrados enterrados ou boiando às margens do Rio Ganges, e indianos morrem em casa, sem atendimento, e na porta dos hospitais, à espera de um leito. Também faltam remédios e oxigênio para os internados.

Moradores acreditam que eles foram jogados no rio porque crematórios estão lotados e muitos parentes não têm dinheiro para pagar nem pela madeira das piras funerárias.

 

Complacência do governo

O governo do primeiro-ministro Narendra Modi chegou a falar em “fase final da pandemia” em março, quando o país chegou a registrar menos de 10 mil infectados e 100 mortes por dia, e então o número de casos começou a subir.

Em meio ao desrespeito a medidas de distanciamento e ao não uso de máscaras, novas variantes do coronavírus encontraram terreno fértil.

Uma nova cepa do coronavírus, a B.1.617, foi descoberta em outubro de 2020 e levou meses para se proliferar pela Índia, mas agora já foi detectada em dezenas países de todos os continentes, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

No dia 10, a OMS classificou-a como uma variante de “preocupação global” e alertou para um risco de maior transmissibilidade e características que poderiam tornar as vacinas contra a Covid-19 menos eficazes.

 

Fonte: G1.com
Foto: Francis Mascarenhas/Reuters