A Polícia Federal (PF) deflagra, nesta terça-feira (20), a Operação Globin, fruto de Inquérito Policial instaurado para apurar a atuação de um grupo criminoso dedicado ao tráfico internacional de drogas, identificado como responsável por 381 kg de cloridrato de cocaína, apreendidos pela PF no interior de uma residência no Distrito de Mosqueiro, em Belém, no dia 17 de julho de 2019.

33 policiais federais estão dando cumprimento, em Ananindeua, Benevides e Abaetetuba, a seis mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela 3ª Vara Criminal Federal – Seção Judiciária do Estado do Pará.

A Operação Globin é pioneira no Estado do Pará, representando um marco no combate ao tráfico transnacional de drogas, com foco, principalmente, na descapitalização do narcotráfico, através do sequestro de bens móveis e imóveis.

Durante as investigações, observou-se que a associação criminosa fazia uso de aplicativo de criptografia de alto nível para tratar sobre atividades ilícitas, utilizando-se também de complexo sistema de financiamento ao tráfico de drogas que movimentou mais de R$ 89 milhões.

Além da colheita de novos elementos de informações durante o cumprimento dos mandados judiciais, a Operação Globin logrou êxito no deferimento judicial de medidas de sequestro de bens móveis e imóveis avaliados aproximadamente em R$ 22 milhões, referentes a prédios, casa, cotas de apartamentos em resorts de luxo, entre outros.

Os valores sequestrados serão destinados aos cofres públicos para implementação de políticas públicas voltadas especialmente a projetos de reaparelhamento e custeio das atividades de fiscalização, controle e repressão ao uso e ao tráfico ilícito de drogas, assim como programas de prevenção, atenção, cuidado, tratamento e reinserção social de usuários de drogas.

Confirmada a hipótese criminal investigada no Inquérito Policial, os autores responderão pelos delitos capitulados nos artigos 33, 35, caput e parágrafo único, 36 c/c 40, I, todos da Lei 11.343/06 c/c art. 69 do Código Penal.

O nome da Operação refere-se a uma lenda colombiana, a qual faz alusão a um anjo que foi expulso do sono com a punição de andar pelos campos da terra, persuadindo jovens e adultos e provocando pesadelos, sonambulismo, raiva, perdimento de coisas, levando-os a vagar sem rumo. A alusão ao nome GLOBIN está ligada diretamente aos efeitos nocivos que a cocaína causa sobre o ser humano.

 

 

Fonte: Dol
Foto: Dol