O domínio da Tuna no segundo tempo da partida contra o Águia de Marabá amenizou a má impressão deixada pelos três gols sofridos na etapa inicial. O cruzmaltino chegou a ficar perdendo por 3 a 0 e conseguiu reduzir a contagem, mas não evitou a derrota por 3 a 2 na estreia do Parazão 2021. Robson Melo lamentou a falta de concentração do time no começo da partida, mas também elogiou o adversário.

– Méritos do Águia, méritos do João Galvão. A gente poderia ter aproveitado mais as oportunidades criadas para fazer os gols e não fizemos. O Águia se prevaleceu de duas falhas nossas, no começo. Desconcentração, falta de atenção, tomadas de decisão que precisamos ter. O jogo é muita concentração, a gente sabe como é jogar aqui contra o Águia – frisou o técnico tunante.

O “apagão” da Águia Guerreira não se repediu no segundo tempo. A Tuna passou a vencer o confronto no meio-campo de pressionou bastante o Azulão, mas desperdiçou muitas chances criadas.

– A gente conseguiu corrigir no intervalo, conseguimos ser mais incisivos e agressivos no segundo tempo, criamos muitas oportunidades e faltou ser mais letal. Em um jogo como esse, decisivo, equilibrado, muito estudado e de estratégia, a gente sabe que não pode errar tanto como aconteceu hoje – criticou Melo.

Ao término da partida alguns jogadores e dirigentes da Tuna chegaram a cercar a equipe de arbitragem para reclamar. Robson Melo preferiu evitar polêmicas, mas criticou a atuação do árbitro Raymar Klemer Rezende Ferreira.

– O árbitro ficou com medo. Um jogo desses, bom de jogar, o árbitro ficou com medo de apitar, errou para os dois lados. Paciência, agora é a gente se refazer, juntar as forças e, sábado, recuperar contra o Independente jogando no Souza. A Tuna continua viva no campeonato – concluiu o treinador.

A Tuna Luso volta a campo no próximo sábado, às 9h30, para jogar em casa. O adversário será o Independente Tucuruí, no Estádio Francisco Vasques, o Souza, em Belém.

Fonte: G1
Foto: Matheus Vieira/Ascom Tuna Luso