Mães de bebês prematuros das unidades de internação do Hospital Materno-Infantil de Barcarena, no nordeste do Pará, terão mais suporte emocional e acolhimento humanizado com o lançamento do projeto Livro do Bebê.

Nas páginas, as acompanhantes escrevem experiências e vivências do dia a dia no tratamento dos filhos. Daniella Dias, psicóloga e coordenadora do projeto, disse que a confecção do material é um processo terapêutico.

“Assim elas podem se expor emocionalmente e escrever suas rotinas, os desafios, os sentimentos, cada vitória e a evolução dos filhos. Depois podem compartilhar, por meio da leitura, essas etapas com outras mães”, explica.

Segundo o hospital, a técnica é um suporte no processo de hospitalização, que pode minimizar impactos na saúde mental da mãe.

“Muitas histórias de nascimentos com bebês tão pequenos quanto a palma de uma mão têm no centro mães que passam por situações físicas e mentais extremamente desgastantes. Essa técnica é uma forma de expressão dos sentimentos, para que elas se sintam ouvidas”, complementa a psicóloga.

O nascimento prematuro, com até 1,5kg ou com menos de 37 semanas, é a principal causa de mortalidade infantil até os cinco anos de idade em todo o mundo. No Brasil, mais de 30 partos de prematuros são realizados por hora, totalizando cerca de 300 mil por ano, segundo o Ministério da Saúde.

Maria Clara, filha da Maria Carmelita, nasceu com 26 semanas de gestação e apenas 865g, no Materno-Infantil de Barcarena, e faz parte dessa estatística. Por se tratar de um prematuro extremo, com dificuldades de respirar e baixo peso, ela precisou de intubação nos primeiros minutos de vida.

“Não há preparo para ver todo dia seu bebê em uma incubadora, lutando pela vida durante dias, semanas. Não poder tocar, sentir no colo, levar para casa, é um sentimento muito doloroso. Nesse momento, falar sobre isso e conversar com outras pessoas que também estão passando pela mesma dificuldade, muda tudo!”, conta Carmelita, que acompanha a filha há quase dois meses no hospital.

 

 

Fonte: G1PA
Foto: Divulgação / Pró-Saúde