Mais de 11 mil pessoas já foram beneficiadas pelas policlínicas itinerantes que o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), criou após o mês de setembro em Belém para atender casos leves e moderados de Covid-19 e outras síndromes gripais.

Na capital, prosseguem os atendimentos pelas estruturas montadas na Unidade Básica de Saúde da Pedreira; Unidade de Referência Especializada (Ure) Reduto; Estádio Mangueirão e estacionamento do Hangar – Centro de Convenções.

Em todos esses locais, o atendimento é feito por demanda espontânea. O paciente chega e logo é encaminhado para a triagem, com a verificação dos sinais vitais, como pressão arterial, temperatura, oxigenação do sangue e glicemia. De lá, se necessário, é encaminhado ao médico que, constatando necessidade, o indicará para exames complementares.

Em caso de suspeita de Covid-19, o paciente realiza exames e recebe medicamento quando há indicação médica. Os testes de RT-PCR são encaminhados para o Laboratório Central do Estado (Lacen-PA) que retornam os resultados. A equipe responsável liga para o paciente para que busque o resultado.

A Sespa ressalta que pessoas com sinais e sintomas mais graves, como falta de ar, devem procurar atendimento nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e prontos-socorros. A Secretaria também esclarece que a Policlínica Metropolitana, situada na avenida Doutor Freitas com Almirante Barroso, em Belém, retomou seu perfil de atendimento ambulatorial em mais de 40 especialidades desde o dia 02 de julho e que desde então não tem mais atendido pacientes suspeitos de Covid, como ocorreu em maio e junho deste ano.

A iniciativa nesses pontos é uma continuidade do trabalho do governo do Estado, desenvolvido desde o início da pandemia no Pará. Nesse sentido, o secretário de Saúde do Estado, Rômulo Rodovalho, informa que a Sespa quer garantir, de forma descentralizada, o atendimento ao paciente logo nos primeiros sinais e sintomas da doença, para evitar o agravamento e a necessidade de internação hospitalar.

Os atendimentos a casos leves e moderados de Covid iniciaram nas duas Unidades de Saúde mantidas pela Sespa no dia 10 de setembro. Até esta quarta-feira, foram realizados 3.128 atendimentos na UBS Pedreira e outros 3.128 atendimentos na URE Doca. Os pacientes que buscam atendimentos nessas Unidades não têm contato com os pacientes que realizam outro tipo de atendimento. Na URE Reduto, a entrada é isolada, realizada pela avenida Manoel Barata, entre Doca de Souza Franco e Quintino Bocaiúva. Na UBS Pedreira, o serviço funciona no anexo do prédio, localizado à esquerda da entrada principal.

Os atendimentos nessas duas Unidades são realizados de segunda à sexta-feira, das 08h30 às 17 horas, com limite de 60 atendimentos por dia em cada unidade. Aos sábados e domingos, o atendimento inicia no mesmo horário, 8h30, mas termina às 13h30.

Na Escola Estadual José Valente Ribeiro foram realizados 128 atendimentos no período de 07 a 11 deste mês. Na Escola Arthur Porto, foram feitos 122 atendimentos entre 9 e 11 deste mês. Em função do processo eleitoral, foram encerrados os atendimentos nessas instituições de ensino, que estão sendo utilizadas como locais de votação. Por conta disso, a unidade da Policlínica Itinerante no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, passou a atender a população desde o dia 12 de novembro, totalizando 1.135 atendimentos até esta quarta-feira, 18.

Na Policlínica Itinerante instalada no estacionamento do Hangar, em funcionamento desde 31 de outubro, já foram realizados 4.014 atendimentos até esta quarta-feira, 18. Com limite de 250 atendimentos diários, o serviço ao público prossegue diariamente, das 8 às 17 horas, com entrada pela rua Brigadeiro Protázio, entre as avenidas Doutor Freitas e Júlio César.

 

 

Fonte: Agência Pará
Foto: Ricardo Amanajás / Ag. Pará